Elas, as preciosas… palavras

Palavras, palavras, palavras… Belas ou não tão belas, engraçadas ou agressivas, de cumprimento, de insatisfação ou de gratidão, de alegria, de louvor ou ofensivas. Curtas ou longuíssimas. No italiano, como nas demais línguas, elas são incontáveis e cada uma delas, a seu modo, é preciosa. Elas nos ensinam, nos fazem refletir, nos transformam. O poder Leia mais… »

Dialetos, línguas e um tal Brandino Padovano

Pesquisando os alfarrábios da história de Padova e da língua italiana, tropecei em um tal Brandino Padovano (Aldobrandino Mezzabati). Curiosa como sempre, quis saber um pouco mais e descobri que no final de 1200 o “nosso” Brandino Padovano não usava mais o latim para escrever os seus sonetos, mas sim o “vernáculo ilustre”, ou seja, Leia mais… »

“Os anjos no céu falam italiano.” (Thomas Mann)

“Mas, senhor, o que estais me perguntando? Eu estou verdadeiramente apaixonado por essa belíssima língua, a mais bela do mundo. Tenho somente que abrir a boca e involuntariamente ela se torna a fonte de toda harmonia deste idioma celeste. Sim, caro senhor, eu não tenho dúvidas de que os anjos falam italiano. Impossível imaginar que Leia mais… »