Skip to content

Retrospectiva 2021

2021
Janeiro Literatura
it
George Orwell e Cesare Pavese - obras caem em domínio público

Os livros "1984",  "A Revolução dos Bichos" (Animals Farm) e todas as outras obras do escritor inglês George Orwell entraram em domínio público. Brasil, União Europeia e Estados Unidos assinaram a Convenção de Berna que estabelece que os direitos autorais das obras expiram após 70 anos a partir do dia 1o de janeiro sucessivo à morte do autor. Orwell viveu até 1950, um ano após o lançamento de "1984". Traduzido para mais de sessenta países, "1984" é o livro mais famoso de Orwell e foi transformado em comédias, filmes e histórias em quadrinhos. George Orwell nasceu na Índia em 1903 e morreu em Londres em 21 de janeiro de 1950.

Assim como os romances de Orwell, as obras do escritor italiano Cesare Pavese também perderam seus direitos autorais. Entre as obras mais populares de Pavese estão "La casa in collina" e "La luna e i falò" (A casa na colina e A lua e as fogueiras, respectivamente e em tradução livre). Cesare Pavese também é reconhecido pela tradução italiana de "Moby Dick", de Herman Melville, e "Of mice and men" (Uomini e topi in italiano), de John Steinbeck. Pavese nasceu em setembro de 1908 e morreu em Torino em 27 de agosto de 1950.

Fevereiro Tecnologia espacial
it
O Brasil decola. "Ao infinito... E além!"

O Brasil lançou o primeiro satélite produzido com tecnologia 100% nacional: Amazônia 1. Segundo a Agência Brasil, o lançamento ocorreu no dia 28 de fevereiro por meio do Centro Espacial Satish Dhawan, na Índia. O objetivo do satélite é fornecer dados de sensoriamento remoto para observar e monitorar o desmatamento, principalmente na região amazônica, bem como monitorar a agricultura do país. “O lançamento marcou dois avanços tecnológicos no país: o domínio total do ciclo de desenvolvimento de um satélite, conhecimento dominado por apenas vinte países no mundo, e a validação da Plataforma Multimissão (PMM) que funciona como um sistema modular adaptável podendo ser configurada de diferentes maneiras para atingir diferentes objetivos ”, observou a diretora substituta do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Mônica Rocha. O lançamento do satélite é resultado da colaboração entre o programa espacial brasileiro e a Índia. O Amazônia-1 foi desenvolvido pelo INPE e pela Agência Espacial Brasileira (AEB), ambas vinculadas ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Outras missões espaciais movimentaram o espaço sideral este mês. Aterrissaram em Marte: a missão Hope, dos Emirados Árabes Unidos, que visa observar e estudar a atmosfera e os eventos climáticos no Planeta Vermelho; a missão chinesa Tianwen-1, encarregada de realizar observações científicas da superfície e da atmosfera de Marte, e a missão Mars 2020 da NASA, que inclui a espaçonave Perseverance e o helicóptero-drone Ingenuity. O objetivo da Perseverance é procurar possíveis sinais de vida no planeta, estudar a geologia do solo e coletar amostras de rochas.  O Ingenuity foi o primeiro drone a sobrevoar o planeta. Para 2022, os planos vêm da Virgin Galactic, que planeja lançar um serviço comercial de voos espaciais. "Ao infinito... E além!"

Março Patrimônio da humanidade
it
Veneza, 1600 anos entre beleza e resiliência

Entre começos e recomeços, a resiliência marcou a história de Veneza, que completou 1600 anos em 25 de março. A história nos conta que naquele dia do ano 421d.C. na Rivo Alto (Rialto) aconteceu o primeiro povoamento em Veneza, seguido da consagração da igreja de San Giacomo. O nascimento de Veneza parece ter sido um processo lento. Na verdade, toda a cidade é construída sobre a água. Sob os alicerces de pedra, troncos de madeira suportam o peso das construções, como se fossem palafitas, e são preservados graças à lama em que estão imersos. Os palácios e igrejas de Veneza flutuam.

A história também nos conta que Veneza conseguiu sobreviver a guerras, conflitos, batalhas e várias crises. Em 1797, foi ocupada pelas tropas francesas de Napoleão Bonaparte. Os palácios, casas e igrejas de Veneza foram saqueados pelos franceses, que fuzilavam quem ousasse protestar. Obras de arte foram roubadas e igrejas destruídas. Mas Veneza também foi uma das cidades mais refinadas da Europa, com forte influência na arte, arquitetura e literatura. Entre o bem e o mal, a prosperidade e a praga, a beleza e a água alta, frequentemente causada pela alternância das marés, Veneza resiste e é Patrimônio Mundial da UNESCO.

Abril Indústria automobilística
it
Vespa - chegar aos 75 anos com estilo

19 milhões de unidades vendidas em todo o mundo. 19 milhões de histórias para contar e recontar. Essa é a Vespa que completou 75 anos em abril. Em todas estas décadas a Vespa manteve intacta a sua aparência e mesmo mantendo a sua essência nunca deixou de ser contemporânea. A primeira Vespa foi patenteada em 23 de abril de 1946 pelo grupo italiano Piaggio. A Segunda Guerra Mundial havia apenas terminado, e a Itália era um país a ser reconstruído, cheio de ideias e esperanças. A Vespa nasceu neste cenário, como um veículo acessível e econômico e logo se tornou um sucesso de vendas, colocando a Itália no centro do movimento pós-guerra.

A pequena motocicleta ultrapassou as fronteiras, em 1950 passou a ser produzida na Alemanha; em 1951, no Reino Unido, e em 1954, chegou ao Brasil. Ícone do design italiano, a Vespa apareceu em filmes clássicos como "Férias em Roma" (1953), em que Audrey Hepburn e Gregory Peck passeavam pelas ruas de Roma, e "A doce vida" (1960) , de Federico Fellini, tornando-se um símbolo da liberdade e da juventude da época. Desde a sua criação, a Vespa é produzida continuamente na fábrica de Pontedera, entre Florença e Pisa.

Maio Patrimônio da humanidade
it
Coliseu recebe projeto para reconstrução de arena

O Coliseu, no coração de Roma, terá de volta a sua arena. Certamente esta foi a melhor notícia para todos aqueles que apreciam o contato próximo com a história. No âmbito dos "Grandes Projetos de Património Cultural", após numerosos estudos e investigações para definir a forma como as obras seriam realizadas, a Itália apresentou o projeto de reconstrução da arena. As obras terão início já nos primeiros meses de 2022 com conclusão prevista para 2023.

Remontando aos anos de inauguração (80 d.C.), o piso da arena era uma prancha de madeira coberta com areia onde homens e feras eram obrigados a subir. Anos depois foram construídos os subterrâneos de alvenaria e mais tarde a construção do complexo que hoje pode ser visto no centro do monumento, muito mais complexo e altamente tecnológico. O novo projeto será sustentável, resistente e altamente durável e devolverá ao público a mesma visão que se podia desfrutar do monumento na antiguidade.

Junho Patrimônio da humanidade
it
Pádua, a cidade do Santo

Pádua é a cidade "dos 3 sem": O santo sem nome, o café sem porta e o gramado sem grama, como a definem seus habitantes, e 13 de junho é um dia importante para os padovanos porque celebram "O Santo", sem nunca precisar especificar seu nome. O santo sem nome é Santo Antônio, o padroeiro de Pádua, amado em todo o mundo católico, mas a Basílica a ele dedicada recebeu simplesmente o nome de Basílica Pontifícia do Santo. A Basílica, que recebe milhões de fiéis todos os anos, conserva as relíquias de Santo Antônio e, neste ano, celebrou também o regresso a Pádua, pela primeira vez desde 1652, da relíquia do antebraço de Antônio, em custódia da Basílica della Salute (Basílica da Saúde), em Veneza. O antebraço do Santo foi motivo de uma peregrinação que ratificou a ligação entre Veneza e Pádua.

O segundo ícone da Cidade do Santo é o "Café sem porta", em alusão ao Caffè Pedrocchi, que completou 190 anos este mês. Até 1916, o recinto permanecia aberto dia e noite, por isso denominado "Café sem porta". O fechamento à noite se deu porque as luzes internas poderiam facilmente ser uma referência para os austríacos durante os bombardeios da Primeira Guerra Mundial. Na verdade, em 1848, a partir de um tiro disparado pelos soldados austríacos, uma bala atingiu uma das paredes internas do café. O furo deixado pelo projétil e uma placa em memória ao ocorrido ainda hoje guardam recordações daquele dia. Por fim, o "Prado sem grama", uma das maiores praças da Europa, faz referência ao Prato della Valle que, em suas origens, era um terreno pantanoso e não o belo gramado com suas 78 estátuas que conhecemos hoje.

Julho Esporte
it
"It's coming Rome", a frase da vitória

"It's coming Rome" (Está voltando para Roma) é a frase da vitória. A Itália venceu a Inglaterra em Wembley e é campeã europeia. A frase acima é a resposta dada pela "Squadra Azzurra" ao confiante coro inglês "It's coming home"(Está voltando para casa), cantado incansavelmente antes e durante a partida realizada em Londres. Mas naquele dia tudo deu errado para os britânicos e, diante de cerca de 65.000 pessoas presentes em Wembley, foi a Itália que trouxe para casa o cobiçado troféu.

A partida foi uma das mais belas e emocionantes da seleção italiana. A Inglaterra saiu na frente, marcando o primeiro gol após apenas dois minutos do início da partida. A Itália conseguiu empatar aos 67 minutos do segundo tempo, com gol de Leonardo Bonucci (1x1). A partida estendeu-se até a disputa de pênaltis e depois de duas horas e meia a Itália venceu por 3 x 2, conquistando o título de campeã europeia pela segunda vez em sua história. O primeiro título foi conquistado em 1968. A 16ª edição do campeonato europeu de futebol de 2020, ou EURO 2020, organizado pela UEFA, foi oficialmente adiada por um ano devido à pandemia COVID-19. Apesar disso, a UEFA decidiu manter inalterado o nome da competição.

Agosto Arte
it
Quem roubou a Mona Lisa?

140 anos atrás, em 21 de agosto, a Mona Lisa desapareceu como fumaça. No Louvre, em Paris, onde a obra-prima de Leonardo Da Vinci estava em exibição desde 1797, todos ficaram boquiabertos. Ninguém a havia deslocado. Ninguém sabia onde ela teria ido parar. A Mona Lisa simplesmente não estava mais lá e ninguém foi capaz de responder à pergunta "Quem roubou a Mona Lisa?". Dois anos se passaram entre dúvidas, incertezas e hipóteses sobre o desaparecimento da Gioconda e sem qualquer vestígio do que realmente teria acontecido naquele dia. O que ninguém sabia é que a Mona Lisa estava escondida no quarto onde vivia Vincenzo Peruggia, um italiano que ao emigrar para a França foi trabalhar no Louvre e, em um belo dia, decidiu roubá-la.

Com a Mona Lisa escondida sob uma jaqueta, Peruggia pegou um ônibus e a levou para casa, voltanto normalmente para o trabalho. Peruggia queria devolver à Itália a pintura que pensava ter sido roubada por Napoleão Bonaparte. Em um livro, ele lera que Napoleão havia roubado muitas obras de arte da Itália, deduzindo assim que entre as obras roubadas estava a Gioconda, aquela que todos os dias ele via no Museu. Ele não sabia que a Mona Lisa tinha sido vendida ao rei de Paris. Retornando à Itália, Peruggia pediu a um antiquário de Florença que devolvesse a Gioconda a um museu italiano e, quem sabe, como uma espécie de recompensa, ele pudesse ter um emprego fixo, mas o antiquário, ao se ver diante da autêntica Mona Lisa, avisou a polícia e Peruggia acabou preso. A Gioconda retornou ao Louvre de trem e Peruggia foi condenado a um ano de prisão, obtendo em seguida uma redução da pena.

Setembro Literatura
it
7 séculos de Dante - o Supremo Poeta pai da língua italiana

Sete séculos se passaram desde a morte de Dante, porém, ele ainda está conosco, presente no nosso dia a dia. Isso porque ele, o Supremo Poeta, nos deixou como legado a língua italiana, essa que falamos hoje, que nasceu de sua poesia e que uniu a Itália do ponto de vista comunicativo. Embora conhecesse bem o latim, Dante estava convencido de que o vernáculo, falado pelas pessoas na rua, deveria se tornar a língua culta. “A mais nobre dessas duas línguas é o vernáculo (...) porque é natural para nós, enquanto a outra (referindo-se ao latim) é muito artificial”, escreveu ele em "De Vulgari Eloquentia".

Entre os legados mais importantes de Dante Alighieri encontramos uma das obras-primas da literatura, a Divina Comédia, considerada a maior obra escrita em italiano. Toda a Comédia é composta por três cantos que incluem um total de 100 cantos. O primeiro canto (Inferno) é composto de 33 cantos mais o Canto Introdutório, e os outros dois (Purgatório e Paraíso) são de 33 cantos cada. Cada canto varia de um mínimo de 115 a um máximo de 160 versos, num total de 14.333, todos escritos em tercinas encadeadas de versos hendecassílabos. Dante nasceu em Florença em 1265 e morreu no exílio em Ravena na noite entre 13 e 14 de setembro de 1321. Por ocasião do 700º aniversário de sua morte, o Ministério da Cultura  propôs que 2021 fosse considerado o ano de Dante, incluindo o 25 de março, Dia Nacional já dedicado a ele, denominado Dantedì (Dia de Dante).

Outubro Transporte aéreo
it
Alitalia - com o último voo, o adeus depois de 74 anos de história

Desde 14 de outubro, quando depois de 74 anos foi feito o último voo da Alitalia, o céu perdeu um pouco de cor. Em 2006 já havia perdido uma de suas estrelas, a da Varig, companhia aérea brasileira que se extinguiu após 79 anos. Nenhuma correlação entre as duas, exceto que ambas foram a menina dos olhos de seus países e que as imagens desses últimos voos, de certa forma, deixaram marcas nos apaixonados pela aviação. Em outra ocasião, esses mesmos apaixonados assistiram desconsolados o último voo do lendário Concorde. Quem entre os fãs nunca sonhou em voar, pelo menos uma vez, a bordo do Concorde? O objetivo aqui não é entrar no mérito ou nos motivos do declínio dessas empresas, mas registrar o desaparecimento dos aviões que um dia viveram seus Anos Dourados.

A Alitalia, a maior companhia aérea italiana, era uma gigante do transporte global, uma verdadeira referência até sua inevitável queda. A Varig também teve pontos fortes de excelência liderados por seu centro de manutenção de aeronaves e pelo centro de treinamento de tripulação reconhecidos entre os melhores do mundo. Cada uma das aeronaves citadas deixou sua marca, seja pelo seu design e velocidade supersônica, por colorir o céu com sua singularidade tricolor ou por fazer brilhar mais uma estrela no azul infinito. O último voo da Alitalia, AZ 1586 Cagliari-Roma, operado por um A321, encerrou outra longa história no setor da aviação.

Novembro Tecnologia
it
Meio século que mudou nossas vidas - história de coisas que encolhem

"O microprocessador Intel 4004 estabeleceu a base para a computação - e tocou todas as formas de vida no planeta." Esta é a frase destacada no topo do site da Intel que comemorou o 50º aniversário do primeiro microprocessador colocado no mercado. O microprocessador que fez a tecnologia da informação decolar foi inventado pelo físico italiano Federico Faggin, que completa 80 anos no mês de dezembro. Nascido em Vicenza, após ter trabalhado com computadores na Olivetti, no passado uma das empresas mais importantes do mundo no ramo de máquinas de escrever e calculadoras, Faggin matriculou-se no curso de Física da Universidade de Pádua, onde se formou. O momento chave de sua vida, porém, foi quando ele decidiu se estabelecer nos Estados Unidos e, em 1970, foi contratado pela Intel, empresa americana que naquele momento começava a operar no mercado. Um ano depois, Faggin foi contratado para fazer alguns circuitos integrados para o protótipo de uma calculadora e foi aí que desenvolveu a tecnologia MOS com porta de silício. O Intel 4004 nasceu empacotando 2.300 transistores em um pequeno pedaço de silício, muito para a época, mas insignificante em comparação com os bilhões usados ​​hoje em um único chip.

Um avanço significativo que demorou apenas meio século para nos levar à moderna tecnologia da informação. Passamos pelo primeiro computador eletrônico, construído em 1946, que ocupava uma sala inteira para nossos microcomputadores, laptops, smartphones e muitas outras tecnologias baseadas em chips que usamos no dia a dia, como a nuvem e a inteligência artificial. Os microprocessadores mudaram o mundo. A Intel em seu site comenta: “Esta é uma história de encolhimento das coisas. E à medida que você reduz, você aumenta o potencial dos lugares que eles podem ir e das coisas que podem passar”.

Dezembro Mundo
it
O mundo sofre ainda com a pandemia de Covid-19

Enfim, estamos imersos em uma crise que nos afeta em todos os níveis. Há dois anos estamos em uma emergência sanitária desencadeada pela pandemia Covid-19 que, se tivermos sorte, se estenderá apenas aos primeiros meses de 2022. Depois... Quem poderá nos dizer? Nas manchetes de jornais o tema Covid, apesar de extenuante, tem deixado a desejar. A real função da imprensa, que seria informar, acabou se perdendo na infinidade de fatos, informações desencontradas e  contradições e tem servido somente para confundir ainda mais. Dados manipulados de acordo com suas conveniências? Talvez sim, mas quem nos poderá dizer? O que se sabe é que 2021 também foi um ano de traumas, derrotas e perdas. Um ano que mudou as nossas vidas e nos fez mudar em nossa essência. A duras penas estamos aprendendo a seguir em frente, a tentar recomeçar. Por teimosia ou obstinação, sei lá, ainda queremos acreditar que 2022 possa ser diferente e possa nos oferecer um pouco mais de esperança, novas expectativas e algum sonho realizado, até porque os sonhos às vezes se realizam. No entanto, por enquanto, o mundo sofre ainda de Covid-19. Por enquanto, o mundo está em Reanimação. Esperamos pelo melhor!

 

Traduza seus textos e documentos

Conquiste, destaque-se, conecte-se, expanda seus horizontes para além das fronteiras.
Seja fluente em Português. Comece já!

.